Novo método de coleta para levantamento de macroinvertebrados associados a plantas aquáticas em águas cristalinas

Jaqueline Cabral Vilas-Boas, Paulo Eduardo Dall’Acqua, Lidiamar Barbosa Albuquerque, Elaine Aparecida Carvalho Anjos-Aquino

Resumo


Chara são algas fixas, submersas, que fornecem proteção e alimento para microrganismos, invertebrados e peixes. Este trabalho teve por objetivo testarum novo método de coleta de macroinvertebrados associados à Chara sp. Fo idesenvolvido nas águas cristalinas do Rio Formoso, Parque Ecológico Rio Formoso em Bonito, MS. As coletas foram feitas em novembro de 2003 em quatro pontos do rio Formoso (remanso e correnteza) com um coletor feito de tecido com 65 cm de altura total e dois aros de metal com 28 cm de diâmetro, que permite fechar o coletor para a descida no mergulho e abri-lo para coletar o material submerso. O volume amostral é de 5.488 cm3. Foram coletados 44 indivíduos de diferentes taxa, sendo os mais abundantes Gastropoda (22,7%)e Ephemeroptera (Baetidae: 9,09%; Leptophlebiidae 27,2%). O método utilizado para a coleta de macroinvertebrados demonstrou ser eficaz nesses ambientes de águas cristalinas.

Palavras-chave


Chara, Novo Método de Coleta Macroinvertebrados e Macrófitas Aquáticas.

Texto completo:

PDF

Referências


BOGGIANI, P. C. Porque Bonito é Bonito? In: SCREMIN-DIAS, E.; POTT, V. J.; HORA, R. C.; SOUZA, P. R. (orgs.). Nos jardins submersos da Bodoquena. Campo Grande: Editora UFMS, 1999. p. 11-23.

 

EATON, D. P. Macroinvertebrados aquáticos como indicadores ambientais da qualidade da água. In: CULLEN-JR, L.; RUDRAN, R.; VALLADARES-PADUA, C. Métodos de estudos em biologia em biologia da conservação e manejo da vida silvestre. Curitiba, Editora UFPR, 2003. p. 43-67.

 

FROEHLICH, O. Muito mais que alimento. In: SCREMIN-DIAS, E.; POTT, V. J.; HORA, R. C.; SOUZA, P. R. (orgs.). Nos jardins submersos da Bodoquena. Campo Grande: Editora UFMS, 1999. p. 11-23.

 

HYNES, H. B. The ecology of running waters. Canada: University of Toronto Press, 1970. p. 555.

 

KLEEREKOPER, H. Introdução ao estudo da limnologia. Porto Alegre: DNPA, 1990. p. 329.

 

KÖEPPEN, W. Climatologia. Fondo de Cultura Econômica. México, 1948.

 

MARQUES, M. G. S. M.; FERREIRA, R. L.; BARBOSA, F. A. R. A comunidade de macroinvertebrados aquáticos e características limnológicas das lagoas carioca e da barra, Parque Estadual do Rio Doce, MG. Revista Brasileira de Biologia. São Carlos, v.59. n.2, p. 203-210, 1999.

 

 

MELO, A. S. Diversidade de macroinvertebrados em riachos. In: CULLEN-JR, L.; RUDRAN, R.; VALLADARES-PADUA, C. Métodos de estudos em biologia em biologia da conservação e manejo da vida silvestre. Curitiba,  Editora UFPR, 2003. p. 69-90.

 

MERRITT, R. W.; CUMMINS, K. W. An introduction to the aquatic insects of North America. Dubuque: Kendall/Hunt, 1996. p. 722.

 

PENNAK, R. W. Freshwater invertebrates of the United States. New York: Willy – Interscience, 1978.

 

POTT, V. J. Riqueza verde em meio azul. In: SCREMIN-DIAS, E.; POTT, V. J.; HORA, R. C.; SOUZA, P. R. (orgs.). Nos jardins submersos da Bodoquena. Campo Grande: Editora UFMS, 1999. p. 11-23.

 

RIBEIRO, L. O.; UIEDA, V. S. Estrutura da comunidade de macroinvertebrados bentônicos de um riacho de serra em Itatinga, São Paulo, Brasil. Revista Brasileira de Zoologia, Curitiba, v.22. n.3, p. 613-618, 2005.

 

STRASKRABA, M.; TUNDISI. Gerenciamento da qualidade de águas de represa. In: STRASKRABA, M.; TUNDISI. Diretrizes para o gerenciamento de lagos. São Carlos: ILEC, 2000. p.280.

 

SCREMIN-DIAS, E. Diminutos jardins subaquáticos. In: SCREMIN-DIAS, E.; POTT, V. J.; HORA, R. C.; SOUZA, P. R. (orgs.). Nos jardins submersos da Bodoquena. Campo Grande: Editora UFMS, 1999. p. 11-23.

 

VANOTTE, R. L.; MINSHALL, G. W.; CUMMINS, K. W.; SEDELL, J. R.; CUSHING, C. E. The river continuum concept. Can. J. Fish. Aquat. Sci., v. 37, p. 130-137, 1980.

 

 




DOI: http://dx.doi.org/10.20435/multi.v0i35.856

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

ISSN online: 2447-9276
ISSN impresso: 1414-512X (até o número especial, set. 2015)