Impactos físicos e biológicos provenientes do projeto urbanístico “Reviva Lagoa Itatiaia” Campo Grande, MS e suas conseqüências

Cássia S. Camillo, Lucinei Zago, Lidiamar B. Albuquerque, Elaine A. C. Anjos-Aquino

Resumo


Impactos ambientais podem ser causadosnos ecossistemas por atividadeshumanas, portanto a análise dessesimpactos é fundamental para o desenvolvimentosustentável. Neste contexto,este estudo objetivou inferir sobre osimpactos ambientais do projeto “RevivaLagoa Itatiaia”, Campo Grande/MS. Asintervenções analisadas foram microdrenagem,construção da barreira decontenção, pavimentação, iluminação,limpeza, arborização e recuperação dasmargens, mediante coleta de dados emduas etapas: 1) análise de estudos sobrea Lagoa e entrevistas; 2) inferênciasobre os impactos causados por cadauma das intervenções. O impacto maisimediato veri􀏐icado refere-se à alteraçãoda periodicidade do nível da Lagoa, quepode interferir nas populações, reduzindoo seu tamanho ou até mesmo causandoextinção local. Por outro lado, oprojeto bene􀏐iciou a população humanaresidente, pois agora o local é seguro eagradável. Assegurar-se-á a conservaçãoda Lagoa, com a implantação de medidasmitigadoras, propiciando uma área delazer e de observação da fauna local.

Palavras-chave


impactos ambientais, Lagoa Itatiaia, projeto urbanístico.

Texto completo:

PDF

Referências


AB’SABER, A. N.; MÜLLER-PLANTENBERG, C. Apresentação. In: MÜLLER-­PLANTENBERG, C.; AB’SABER, A. N. (Org.). Previsão de impactos: o estudo de impacto ambiental no Leste, Oeste e Sul. Experiências no Brasil, na ­Rússia e na Alemanha. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1994.

BEZERRA, F. S. M. Moluscos transmissores da esquistossomose mansoni. In: NEVES, D. P. Parasitologia humana. 10.ed. São Paulo: Atheneu, 2000.

BRASIL. Conselho Nacional do Meio Ambiente. Resolução n. 001, de 23 de janeiro de 1986. Dispõe sobre critérios básicos e diretrizes gerais para o Relatório de Impacto Ambiental – RIMA. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 17 fev. 1986.

BRASIL, T. S. S.; et al. Preferência de local para desova de Pomacea cf. lineata na Lagoa do Jardim Itatiaia em Campo Grande, MS. In: Congresso Brasileiro de Zoologia, 25. 2004, Brasília. Resumos... Brasília: Sociedade Brasileira de Zoologia, 2004. p. 288.

BRONSON, C. H. Apple snails: a common aquarium product. Technical Bulletin. Flórida, 2002. n. 3. ago  p. 01-04.  Disponível em: <http://www. ­floridaaquaculture.com/Pub/Apple%20Snails.pdf>. Acesso em: 10 set. 2003.

CAMILLO, C. S. et al. Impactos ambientais provenientes do projeto “Reviva Lagoa Itatiaia”, Campo Grande-MS. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ZOOLOGI,A 25. 2004, Brasília. Resumos... Brasília: Sociedade Brasileira de Zoologia, 2004. p. 442.

CAMPO GRANDE (Município). Lei n. 2.909, de 28 de julho de 1992. Institui o código de polícia administrativa do município de Campo Grande-MS e dá outras providências. Diário Oficial de Campo Grande, Campo Grande, MS, 29 jul. 1992.

______. Lei Complementar n. 05, de 22 de novembro de 1995. Institui o Plano Diretor de Campo Grande e dá outras providências. Diário Oficial de Campo Grande, Campo Grande, MS, 23 nov. 1995.

______. Decreto n. 7.784, de 30 de julho de 1999. Regulamenta a Lei n. 3.612, de 30 de abril de 1999, que cria o SILAM e o Fundo Municipal de Meio Ambiente - FMMA, e dá outras providências. Diário Oficial de Campo Grande, Campo Grande, MS, 31 de julho de 1999.

______. Instituto Municipal de Planejamento Urbano e de Meio Ambiente. Projeto Urbanístico Lagoa Itatiaia: estudo geológico e hidrogeológico. Campo Grande, 2000. Técnico responsável: Milton Saratt.

______. Instituto Municipal de Planejamento Urbano e de Meio Ambiente. Caracterização da fauna terrestre e ictiofauna da Lagoa Itatiaia – Campo Grande/MS. Campo Grande, 2001. Técnico responsável: Sandra Dambrós.

______. Instituto Municipal de Planejamento Urbano e de Meio Ambiente. Projeto Reviva a Lagoa Itatiaia: Estudo Ambiental Preliminar. Campo Grande, [2002a].

______. Instituto Municipal de Planejamento Urbano e de Meio Ambiente. Projeto Reviva a Lagoa Itatiaia. Campo Grande, [2002b].

______. Instituto Municipal de Planejamento Urbano e de Meio Ambiente. Reviva a Lagoa Itatiaia: projeto de revegetação da área de preservação ecológica. Campo Grande, 2003a. Técnico responsável: José Edmur Resende.

______. Prefeitura Municipal de Campo Grande. ARCA: Revista de divulgação do arquivo histórico de Campo Grande-MS. n. 9. Campo Grande: Gibim Gráfica e Editora, 2003b.

______. Instituto Municipal de Planejamento Urbano e de Meio Ambiente. Relatório de monitoramento hidrogeológico: projeto urbanístico Lagoa Itatiaia. Campo Grande, 2004. Técnico responsável: Rosemeire Luckmann.

ESTEVES, F. A. Fundamentos de limnologia. Rio de Janeiro: Interciência: FINEP, 1988

GHESQUIERE, S. Applesnail, 1998. Disponível em: <http://www.applesnail.net>. Acesso em: 10 set 2003.

GEOMORENA 2000 – Sistema de informações geográficas de Campo Grande. CD-ROM Região do Bandeira. Prefeitura Municipal de Campo Grande, 2001. Fotos: QD5233 e QD 5333.

GUIBU, S. D.; MONTEIRO, L. M. O.; ANJOS-AQUINO, E. A. Aves da Lagoa Itatiaia: distribuição espacial e comportamento. Multitemas, Campo Grande,MS: Editora UCDB, no prelo.

GORSKI, D. I. Importância das macrófitas sobre a estrutura da ictiocenose na Lagoa Itatiaia, Campo Grande - Mato Grosso do Sul, 2004. 27f.Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas) – Universidade para o Desenvolvimento do Estado e da Região do Pantanal-UNIDERP, Campo Grande, MS, 2004.

IGLESIAS, J. D. F. Aspectos médicos das parasitoses humanas. Rio de Janeiro: MEDSI, 1997.

MAGALHÃES, CÉLIO. Famílias Pseudothelphusidae e Trichodactylidae. In: Melo, G. A. (Ed). Manual de identificação de Crustácea Decapoda de água doce do Brasil. São Paulo: Editora Loyola, 2003. p. 143-287.

______. Crustáceos decápodos (água doce). In: Joly, C.A.; Bicudo, C.E.M.; (Orgs). Biodiversidade do estado de São Paulo, Brasil: síntese do conhecimento ao final do século XX. 4: Invertebrados de Água Doce. São Paulo: FAPESP, 1999. cap. 19. Disponível em: <http://www.biota.org.br/pdf/v4cap19.pdf>. Acesso em: 22 out. 2005.

MAGALHÃES, CLÁUDIA A. Hábitos alimentares e estratégia de forrageamento de Rosthramus sociabilis no Pantanal de Mato Grosso, Brasil. Ararajuba: Revista Brasileira de Ornitologia, Rio de Janeiro, v. 1, p. 95-98, 1990.

MANSUR, C. B.; HEBLING, N. J. Análise comparativa entre a fecundidade de Dilocarcinus pagei Stimpson e Sylviocarcinus australis Magalhães & Turkay (Crustacea, Decapoda, Trichodactylidae) no Pantanal do Rio Paraguai, Porto Murtinho, Mato Grosso do Sul. Revta Brasileira Zoologia, Curitiba, v. 19, n. 3, p. 797-805, set. 2002.

NULTSCH, W. Botânica Geral. 10 ed. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

PAYNE, A. I. The ecology of tropical lakes and rivers. Chichester, Great Britain: John Wiley & Sons, 1986.

PIECZYNSKA, E. Some regularities in the functioning of lake littoral. In: Pieczynska, E. (Ed). Selected problems of lake littoral ecology. Warsaw: University of Warsaw, 1976.

PLAEN SERVIÇOS GERAIS DE ENGENHARIA LTDA. As built: levantamento conforme construído. Projeto Reviva Lagoa Itatiaia, Campo Grande, MS. Out. 2003. Responsável técnico: João Marcelo Lima.

PORTO, R.; ZAHED, F. K.; TUCCI, C.; BIDONE, F. Drenagem urbana. In: TUCCI, C. E. M. (Org). Hidrologia: ciência e aplicação. 2.ed. Porto Alegre: Editora da Universidade/UFRGS/ ABRH, 2001.

PRIMACK, R. B. Essentials of conservation biology. Massachusetts, USA: Sinauer Associates, 1993.

RANDALL, E.; BURGGREN, W.; FRENCH, K. Fisiologia animal. 4.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.

RAVEN, P. H.; EVERT, R. F.; EICHORN, S. E. Biologia vegetal. 6.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2001.

REIS, C. C. P. Avaliação da balneabilidade da Lagoa Itatiaia, Campo Grande – MS, 2004. 42fp. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas) – Universidade para o Desenvolvimento do Estado e da Região do Pantanal-UNIDERP, Campo Grande, MS, 2004.

REY, L. Parasitologia. 3.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2003.

RIBEIRO-COSTA, C. S.; MARINONI, L. Mollusca. In: Ribeiro-Costa, C. S.; Rocha, R. M. Invertebrados: manual de aulas práticas. Ribeirão Preto: Holos, 2002. p. 74-105.

RICKLEFS, R. E. Economia da natureza. 3.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1996.

SANTANA, W. B.; ALBUQUERQUE, L.; ANJOS-AQUINO, E. A. Composição florística e distribuição espacial de macrófitas na Lagoa Itatiaia em Campo Grande, MS. (comunicação pessoal, 2005).

SILVA, F. H. Levantamento de macroinvertebrados bentônicos como possíveis indicadores no diagnostico ambiental da Lagoa Itatiaia, Campo Grande-MS, 2004. 28fp. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas) – Universidade para o Desenvolvimento do Estado e da Região do Pantanal-UNIDERP, Campo Grande, MS, 2004.

SICK, H. Ornitologia brasileira. 2.ed. Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 1986.

TRIOLA, M. F. Introdução à estatística. 7.ed. Rio de janeiro: LTC, 1999.

TUCCI, C. E. M.; PORTO, R. L.; BARROS, M. T. (Org). Drenagem urbana. Porto Alegre: Editora da Universidade/UFRGS: ABRH, 1995.

ZAGO, L.; CAMILLO, C. S.; ALBUQUERQUE, L. B.; ANJOS-AQUINO, E. A. C. Impactos biológicos decorrentes do projeto urbanístico: “Reviva Lagoa Itatiaia” Campo Grande, MS e suas conseqüências. Multitemas, Campo Grande, MS. (no prelo).

A




DOI: http://dx.doi.org/10.20435/multi.v0i35.850

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

ISSN online: 2447-9276
ISSN impresso: 1414-512X (até o número especial, set. 2015)