Propriedades químicas de madeiras nativas comerciais

Esther Saraiva Carvalho de Souza, Zaíra Morais dos Santos Hurtado de Mendoza, Pedro Hurtado de Mendoza Borges, Gabriella da Silva França

Resumo


A qualidade da madeira está relacionada com seu uso e o conjunto das propriedades químicas, físicas, anatômicas e mecânicas que lhe conferem características tecnológicas. O objetivo deste trabalho foi analisar o teor de extrativos, o teor de lignina e o pH de madeiras de florestas autóctones, visando predizer e/ou aprimorar suas utilizações. Foram quantificados os teores de extrativos solúveis em água fria e quente, NaOH 1% e etanol/tolueno, o teor de lignina e o pH. A partir do teste de médias, constataram-se as diferenças estatísticas entre as espécies. Concluiu-se, portanto, que as madeiras de espécies nativas podem ser indicadas para a produção de carvão vegetal, para fabricação de produtos reconstituídos de madeira e para uso em construções rurais.


Palavras-chave


teor de extrativos; teor de lignina; pH.

Texto completo:

PDF

Referências


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA TÉCNICA DE CELULOSE E PAPEL – ABTCP. Normas Técnicas. São Paulo, 1974.

CASTRO, A. F. N. M.; CASTRO, R.V. O.; CARNEIRO, A. C. O.; LIMA, J. E.; SANTOS, R. C.; PEREIRA, B. L. C. Análise multivariada para seleção de clones de eucalipto destinados à produção de carvão vegetal. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 48, n. 6, p. 627-35, jun. 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-204X2013000600008&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 20 jun. 2019.

FRANZEN, D. C.; MENDOZA, Z. M. S. H.; BORGES, P. H. M.; MADI, J. P. S.; BORGES, D. S. Estudo das propriedades físicas e químicas de madeiras provenientes de espécies nativas da Amazônia Legal. Enciclopédia Biosfera, Goiânia, v. 15, n. 27, p. 498-509, 2018. Disponível em: http://www.conhecer.org.br/enciclop/2018a/agrar/estudo%20das%20propriedades.pdf. Acesso em: 15 jun. 2019.

GOMIDE, J. L.; COLODETTE, J. L. Qualidade da madeira. In: BORÉM, A. (Ed.). Biotecnologia florestal. Viçosa, MG: UFV, 2007. p. 25-54.

JARA, E. R. P. O poder calorífico de algumas madeiras que ocorrem no Brasil. São Paulo: Instituto de Pesquisas Tecnológicas, 1989. (Comunicação Técnica n. 1797).

KELLY, M. W. Critical literature review of relationships between processing parameters and physical properties of particleboard. Madison, USA: USDA Forest Service General Technology Report Forest Products Laboratory, 1977. 66 p.

MARRA, F. S. Tecnhonology of wood bonding − principles in practice. New York: Van Nostrand Reinhold, 1992. 453 p.

MEDEIROS NETO, P. N.; OLIVEIRA, E.; PAES, J. B. Relações entre as características da madeira e do carvão vegetal de duas Espécies da Caatinga. Floresta e Ambiente, Rio de Janeiro, v. 21, n. 4, p. 484-93, 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S2179-80872014000400008&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 20 jul. 2019.

MENDOZA, Z. M. S. H. Tecnologia química de produtos florestais. Cuiabá: Editora UFMT, 2017. (Apostila – material didático, p. 74-7).

MOUTINHO, V. H. P.; ROCHA, J. J. M.; AMARAL, E. P.; SANTANA, L. G. M.; ÁGUIAR, O. J. R. Propriedades químicas e energéticas de madeiras amazônicas do segundo ciclo de corte. Floresta e Ambiente, Rio de Janeiro, v. 23, n. 3, p. 443-9, 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S2179-80872016005014105&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 21 jul. 2019.

SANTINI, E. J. Biodeterioração e preservação da madeira. Santa Maria, RS: CEPEF/FATEC, 1988. 125 p.

SILVA, L. F.; PAES, J. B.; JESUS JUNIOR, W. C.; OLIVEIRA, J. T. S.; FURTADO, E. L.; ALVES, F. R. Deterioração da madeira de Eucalyptus spp. por fungos xilófagos. Cerne, Lavras, MG, v. 20, n. 3, p. 393-400, jul/set. 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-77602014000300008. Acesso em: 21 jul. 2019.

TRIANOSKI, R.; IWAKIRI, S.; MATOS, J. L. Avaliação de painéis aglomerados de Toona ciliata produzidos com diferentes densidades e teores de resina. Madera y Bosques, Xalapa, México, v. 20, n. 3, p. 49-58, set./nov. 2014. Disponível em: http://www.scielo.org.mx/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1405-04712014000300005. Acesso em: 15 jun. 2019.     




DOI: http://dx.doi.org/10.20435/multi.v21i59.2803

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

ISSN online: 2447-9276
ISSN impresso: 1414-512X (até o número especial, set. 2015)