Uso de agrotóxicos e perfil de intoxicação humana na região Centro-Oeste do Brasil

Luciana Virginia Mario Bernardo, Maycon Jorge Ulisses Saraiva Farinha, Juliano dos Santos Cardoso, Clandio Favarini Ruviaro

Resumo


A intoxicação exógena é considerada um problema de saúde pública no Brasil, tendo vista a frequência com que ocorre no país e a possibilidade de amplitude de indivíduos que podem ser intoxicados, considerando que existem atividades laborais relacionadas ao manuseio de componentes químicos como os agrotóxicos, que empregam muitas pessoas. Assim, o objetivo do artigo foi identificar o perfil dos intoxicados por agrotóxicos agrícolas na Região Centro-Oeste do Brasil. Para isso, foram coletados dados no Datasus (Ministério da Saúde), IBGE e IBAMA, utilizadas ferramentas da estatística descritiva e o mapeamento de dados absolutos. Percebeu-se que, na maioria das vezes, a intoxicação por agrotóxicos agrícolas ocorre com homens que foram intoxicados em seu ambiente de trabalho. Conhecer o perfil dos intoxicados por agrotóxicos agrícolas, pode favorecer as ações coletivas para prevenção a esse problema de saúde pública.


Palavras-chave


insumos agrícolas; defensivos agrícolas; toxicologia humana.

Texto completo:

PDF

Referências


AMARAL, J. F.; DINIZ, J. M. A. R. The use of agrochemicals and safety measures in the state of Paraná, Brazil. Studies in Environmental Science, v. 18, p. 147-50, 1982. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0166111609700408. Acesso em: 16 jul. 2019.

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA (ANVISA); UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ (UFPR). Seminário volta a discutir mercado de agrotóxicos. 2012. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br/resultado-de-busca?p_p_id=101&p_p_lifecycle=0&p_p_state=maximized&p_p_mode=view&p_p_col_id=column-1&p_p_col_count=1&_101_struts_action=%2Fasset_publisher%2Fview_content&_101_assetEntryId=2665456&_101_type=content&_101_groupId=219201&_101_urlTitle=seminario-volta-a-discutir-mercado-de-agrotoxicos-em-2012&redirect=http%3A%2F%2Fportal.anvisa.gov.br%2Fresultado-de-busca%3Fp_p_id%3D3%26p_p_lifecycle%3D0%26p_p_state%3Dnormal%26p_p_mode%3Dview%26p_p_col_id%3Dcolumn-1%26p_p_col_count%3D1%26_3_groupId%3D0%26_3_keywords%3DSemin%25C3%25A1rio%2Bvolta%2Ba%2Bdiscutir%2Bmercado%2Bde%2Bagrot%25C3%25B3xicos%26_3_cur%3D1%26_3_struts_action%3D%252Fsearch%252Fsearch%26_3_format%3D%26_3_formDate%3D1441824476958&inheritRedirect=true. Acesso: maio 2017.

BHATT, M. H.; ELIAS, M. A.; MANKODI, A. K. Acute and reversible parkinsonism due to organophosphate pesticide intoxication. Neurology, v. 52, n. 7, p. 1467-71, abr. 1999.

COMPANHIA NACIONAL ABASTECIMENTO (CONAB). Calendário de Plantio e Colheita de Grãos no Brasil – 2017. 2017. Disponível em: https://www.conab.gov.br/institucional/publicacoes/outras-publicacoes/item/7694-calendario-agricola-plantio-e-colheita. Acesso em: 16 jul. 2019.

CARMO, D. A.; CARMO, A. P. B.; PIRES, J. M. B.; OLIVEIRA, J. L. M. Comportamento ambiental e toxidade dos herbicidas atrazina e simazina. Revista Ambiente & Água, Taubaté, SP, v. 8, n. 1, p. 133-43, 2013.

CARNEIRO, F. F.; PIGNATI, W.; RIGOTTO, R. M.; AUGUSTO, L. G. S.; RIZOLLO, A.; MULLER, N. M.; ALEXANDRE, V. P.; FRIEDRICH, K.; MELLO, M. S. C. (Org.). Dossiê Abrasco: um alerta sobre os impactos dos agrotóxicos na saúde. Rio de Janeiro: Abrasco, 2012. 1ª Parte.

Dados de Intoxicação por Agrotóxicos – 2008 a 2013. Ministério da Saúde/SVS - Sistema de Informação de Agravos de Notificação – Sinan, [s.d.]. Disponível em: http://www2.datasus.gov.br/DATASUS/index.php?area=02. Acesso em: maio 2017.

EDDLESTON, M.; BATEMAN, D. N. Pesticides. Medicine, v. 40, n. 3, p. 147-50, mar. 2012.

FARIA, N. M. X.; FACCHINI, L. A.; FASSA, A. G.; TOMASI, E. Trabalho rural e intoxicações por agrotóxicos. Caderno de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 20, n. 520(5), 1298-308, set./out. 2004.

FARIAS, G. M.; ZAMBERLAN, C. O. Expansão da fronteira agrícola: impacto das políticas de desenvolvimento regional no Centro-Oeste brasileiro. Revista Brasileira de Planejamento e Desenvolvimento, Curitiba, PR, v. 2, n. 2, p. 58-68, jul./dez. 2013. Disponível em: https://periodicos.utfpr.edu.br/rbpd/article/view/3076. Acesso em: 16 jul. 2019.

FERREIRA, C. R. R. P. T.; VEGRO, C. L. R.; CAMARGO, M. de L. B. Defensivos agrícolas: desempenho recorde em 2010 e expectativas de aumento nas vendas em 2011. IEA. 2011. Disponível em: http://www.iea.sp.gov.br/out/LerTexto.php?codTexto=12192. Acesso em: 16 jul. 2019.

HUNGARO, A. A.; CORREIA, L. M.; SILVINO, M. C. S.; ROCHA, S. M.; MARTINS, B. F.; OLIVEIRA, M. L. F. Intoxicações por agrotóxicos: registros de um serviço sentinela de assistência toxicológica. Ciência, Cuidado e Saúde, Maringá, PR, v. 14, n. 3, p. 1362-9, jul./set. 2015.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Produção Agrícola Municipal. 2017. Disponível em: https://sidra.ibge.gov.br/pesquisa/pam/tabelas. Acesso em: maio 2017.

INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS (IBAMA). Relatórios de comercialização de agrotóxicos: histórico de comercialização. 2016. Disponível em: http://www.ibama.gov.br/agrotoxicos/relatorios-de-comercializacao-de-agrotoxicos. Acesso em: jun. 2017.

LONDON, L.; NELL, V.; THOMPSON, M. L.; MYERS, J. E. Effects of long-term organophosphate exposures on neurological symptoms, vibration sense and tremor among South African farm workers. Scandinavian Journal of Work, Environment & Health, v. 24, n. 1, p. 18-29, fev. 1998.

LUZARDO, O. P. et al. Validated analytical methodology for the simultaneous determination of a wide range of pesticides in human blood using GC-MS/MS ad LC-ESI/MS/MS and its application in two poisoning cases. Science & Justice, v. 55, n. 5, p. 207-315, set. 2015.

MALASPINA, F. G.; ZINI LISE, M. L.; BUENO, P. C. Perfil epidemiológico das intoxicações por agrotóxicos no Brasil, no período de 1995 a 2010. Caderno Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 19, n. 4, p. 425-34, 2011.

MEYER, A.; KOIFMAN, S.; KOIFMAN, R. J.; MOREIRA, J. C.; CHRISMAN, J. R.; ABREU-VILLACA, Y. Mood disorders hospitalizations, suicide attempts, and suicide mortality among agricultural workers and residents in an area with intensive use of pesticides in Brazil. Journal Toxicology Environmental Health, v. 73, n. 13-14, p. 866-77, 2010.

MIRANDA, E. E.; MAGALHÃES, L. A.; CARVALHO, C. A. Proposta de delimitação territorial do MATOPIBA. Campinas, SP: Embrapa, 2014. Disponível em: https://www.embrapa.br/gite/publicacoes/NT1_DelimitacaoMatopiba.pdf. Acesso em: maio 2017.

ORGANIZAÇÃO PANAMERICANA DA SAÚDE/ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Representação do Brasil. Manual de vigilância da saúde de populações expostas a agrotóxicos. Brasília, 1996.

POLETTO, A. R.; GONTIJO, L. A. Family farming workers mental health in a microrregion in southern Brazil. Work, v. 41, p. 4987-94, jan. 2012.

VASCONCELOS, M. V.; FREITAS, C. F.; SILVEIRA, C. A. Caracterização do uso de agrotóxico entre trabalhadores rurais. Saúde, Santa Maria, RS, v. 40, n. 2, p. 87-96, jul./dez. 2014.

VIEIRA FILHO, J. E. R. A fronteira agropecuária brasileira: redistribuição produtiva, efeito poupa-terra e desafios estruturais logísticos. In: VIEIRA FILHO, J. E. R.; GASQUES, J. G. (Org.). Agricultura, transformação produtiva e sustentabilidade. Brasília: IPEA, 2016. p. 89-107.




DOI: http://dx.doi.org/10.20435/multi.v24i57.2285

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

ISSN online: 2447-9276
ISSN impresso: 1414-512X (até o número especial, set. 2015)