Museus e escolas: parceria na efetivação de ações culturais para a formação de público consumidor de cultura

Maria Christina Lima Félix Santos, Heitor Romero Marques, Maria Augusta Castilho

Resumo


Este artigo apresenta uma reflexão acerca da origem do termo museu, suas implicações históricas, bem como a relação desse espaço cultural com a escola, apresentando o museu como local de integração com a cultura e com a memória. O artigo foi desenvolvido com base no método bibliográfico descritivo, pautado ainda no método dedutivo, com embasamento teórico em diversas fontes de consultas como: livros, artigos científicos, documentos, sites, para estabelecer a importância da relação do museu-escola para a construção do conceito de cultura. O texto apresenta uma reflexão contemporânea pontuando a escola como um espaço de educação formal, e os museus enquanto espaços educativos não formais. O artigo evidencia a relação de parceria entre os museus e as escolas, para a formação de público visitante dos museus e consequentemente de futuros consumidores de cultura.

Palavras-chave


museu; escola; visitantes; memória; preservação.

Texto completo:

PDF

Referências


ARENDT, Hannah. A crise na educação. [Ensaio]. In: ARENDT, Hannah. Entre o passado e o futuro. 7. ed. São Paulo: Perspectiva, 2011.

BOURDIEU, Pierre. O amor pela arte. Porto Alegre: Zouk, 2016.

BOSI, Ecléa. Memória e sociedade: lembranças de velhos. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.

BRASIL. Lei n. 11.904, de 14 de janeiro de 2009. Institui o Estatuto de Museus e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília 15 jan. 2009.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: pluralidade cultural, orientação sexual. Brasília: MEC/SEF, 1997.

CANCLINI, Nestor. Culturas híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. 2. ed. São Paulo: Edusp, 1998.

CASTILHO, Maria Augusta de; FERREIRA, Rejane Platero. O Museu das Culturas Dom Bosco: desenvolvimento local na educação básica. Campo Grande: Gráfica Mundial, 2012.

DESVALLÉES, André; MAIRESSE, François (Dir.). Conceitos-chave de Museologia. São Paulo: Comitê Brasileiro do ICOM, Pinacoteca do Estado, Secretaria de Estado da Cultura, 2013.

FERNANDES, Hélènemarie Dias. A (re)territorialização do patrimônio cultural tombado do Porto Geral de Corumbá-MS no contexto do desenvolvimento Local. 2009. 148 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Local) - Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande, MS, 2009.

FONSECA, Selva Guimarães. Ser professor no Brasil: história oral de vida. Campinas, SP: Papirus, 1997.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 32. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da indignação: cartas pedagógicas e outros escritos. São Paulo: UNESP, 2000.

FREIRE, Paulo. Educação e mudança. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

GRINSPUN, Mirian P. S. Zippin. A orientação educacional: conflito de paradigmas e alternativas para a escola. São Paulo: Cortez, 2002.

HELLWIG, Alessandro Wickboldt. Museu, memória e identidade pomerana: uma correlação local. Expressa Extensão, Pelotas, RS, v. 19, n. 2, p. 1-14, 2014. Disponível em: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/expressaextensao/article/view/4481/7891. Acesso em: 22 jul. 2019.

INSTITUTO BRASILEIRO DE MUSEUS (IBRAM). Museus e turismo: estratégias de Cooperação. Brasília: Ministério da Cultura/Instituto Brasileiro de Museus, 2014.

INSTITUTO BRASILEIRO DE MUSEUS (IBRAM). Mapa estratégico do IBRAM. [s.d.]. Disponível em: http://www.museus.gov.br/acessoainformacao/o-ibram. Acesso em: 18 ago. 2018.

INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL (IPHAN). Caderno de diretrizes museológicas. 2. ed. Belo Horizonte: Secretaria de Estado da Cultura/Superintendência de Museus, 2006.

LE GOFF, Jacques. História e memória. São Paulo: Editora da Unicamp, 1996.

LOPES, Maria Margaret. A favor da desescolarização dos museus. Educação & Sociedade, Campinas, SP, n. 40, p. 443-55, 1991. Disponível em: https://www.sisemsp.org.br/blog/wp-content/uploads/2016/04/A-favor-da-desescolariza%C3%A7%C3%A3o-dos-museus.pdf

LOURENÇO, Maria Cecília França. Museus à grande. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Brasília, n. 30, p. 183-209, 2002.

MARANDINO, Martha. Interfaces na relação museu-escola. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, Florianópolis, v. 18, n. 1, p. 85-100, abr. 2001.

MENESES, Ulpiano T. Bezerra. Do teatro da memória ao laboratório da História: a exposição museológica e o conhecimento histórico. Anais do Museu Paulista, São Paulo, N. Ser., v. 2, p. 9-42, jan./dez. 1994. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/anaismp/v2n1/a02v2n1.pdf. Acesso em: 15 jun. 2017.

NORONHA, Elisa. Museus de Arte Contemporânea: uma estratégia de abordagem. Disponível em: http://interartive.org/2010/01/museucontemporaneo. Acesso em: 10 jun. 2017.

PADILHA, Renata Cardoso; CAFÉ, Lígia; SILVA, Edna Lúcia da. O papel das instituições museológicas na sociedade da informação/conhecimento. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 19, n. 2, p. 68-82, abr./jun., 2014.

POSSAS, Helga Cristina Gonçalves. Classificar e ordenar: os gabinetes de curiosidades e a história natural. In: FIGUEIREDO, Betânia Gonçalves; VIDAL, Diana Gonçalves (Org.). Museus: dos gabinetes de curiosidades a museologia moderna. 2. ed. Belo Horizonte: Fino Traço, 2013.

RAMOS, Francisco Regis Lopes. A danação do objeto. Chapecó, SC: Argos, 2004.

SUANO, Marlene. O que é museu? São Paulo: Brasiliense, 1986.

TODOROV, Tzvetan. Memória do mal, tentação do bem - indagações sobre o século XX. São Paulo: Arx, 2002.

  




DOI: http://dx.doi.org/10.20435/multi.v24i57.2219

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

ISSN online: 2447-9276
ISSN impresso: 1414-512X (até o número especial, set. 2015)