Turismo rural em faxinais: uma alternativa não agrícola de desenvolvimento local e de fixação do homem no campo

Rosiane Mikuska, Ronaldo Ferreira Maganhotto

Resumo


As atividades rurais não agrícolas vêm se tornando mais comuns no meio rural brasileiro, dentre as quais se destaca o turismo. O presente artigo apresenta um estudo bibliográfico acerca do turismo em terras de faxinais no estado do Paraná e tem como objetivo apresentar as possibilidades e limitações da implementação da atividade turística nas terras de Faxinal, a partir das publicações com a referida temática. Nesse contexto, a presente pesquisa configura-se como de caráter qualitativo, tendo como técnica de pesquisa o levantamento e análise bibliométrica. Verificou-se a escassez de pesquisas envolvendo turismo em áreas faxinalenses. Dos estudos encontrados na base Google Acadêmico, três abordam o turismo rural em faxinais de Prudentópolis e de Mallet, municípios que apresentam maior incidência de faxinais na região. Ressalta-se a inexistência de estudos sobre o tema elencado em bases como Scielo e Scopus. Quanto às possibilidades, verificou-se que os aspectos paisagísticos (naturais e rurais) e culturais (religiosidade e gastronomia) configuram-se como sendo elementos peculiares às áreas de Faxinal. No entanto o acesso (estrada e sinalização), a adequação da propriedade e necessidade de investimentos, assim como o entendimento do pequeno agricultor quanto à prestação de serviço, reportam-se aos desafios a serem superados para implementação da atividade turística e de lazer como alternativa não agrícola no meio rural.


Palavras-chave


faxinal; Paraná; turismo rural.

Texto completo:

PDF

Referências


BRAVO, Renato. Turismo rural, esse desconhecido. Estudos Turísticos. 2000. Disponível em: http://bdm.unb.br/bitstream/10483/239/3/2003_TharsoPadilhaNogueira.pdf. Acesso em: 8 jun. 2017.

CARVALHO, Horácio M. de. Da aventura à esperança: a experiência auto-gestionária no uso comum da terra. Curitiba, PR, 1984. (mimeografado).

CHANG, Man Yu Sistema faxinal: uma forma de organização camponesa em desagregação no Centro-Sul do Paraná. Londrina, PR: IAPAR, 1988. (Boletim Técnico, 22, 121f.).

COELHO, Mariely de Andrade. Reflexões, possibilidades e limitações da atividade turística na comunidade faxinalense de Taquari dos Ribeiros de Rio Azul/ PR. 2016. 59f. Monografia (Trabalho de Conclusão de Curso de Turismo) - Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO), Irati, PR, 2016.

ELSEVIER. Scopus. Material publicitário. Amsterdam, 2010.

GOVEIA, Elieti Fátima de; MAGANHOTTO, Ronaldo Ferreira; ALBERTON, Vanessa; BAPTISTA, Leandro. Possibilidades e adversidades frente a inserção do turismo rural em pequenas propriedades. Revista Espacios, v. 38, n. 51, 2017. Disponível em: https://www.revistaespacios.com/a17v38n51/a17v38n51p16.pdf. Acesso em: 12 jun. 2017.

GRAZIANO DA SILVA, José et al. Turismo em áreas rurais: suas possibilidades e limitações no Brasil. In: ALMEIDA, J. A. et al. (Org.). Turismo rural e desenvolvimento sustentável. Santa Maria, RS: Centro Gráfico, 1998.

HARDIN, Garrett. The tragedy of the commons. Science, v. 162, n. 3859, p. 1243-8, dez. 1968. Disponível em: https://science.sciencemag.org/content/162/3859/1243. Acesso em: 21 dez. 2014

INSTITUTO BRASILEIRO DE TURISMO (EMBRATUR). Manual do turismo rural. Brasília: Ministério da Indústria, do Comércio e do Turismo, 1994.

LEMES, Pedro Henrique Sanches. Turismo comunitário: reflexões sobre os faxinais do município de Prudentópolis – Paraná. UNOPAR Científica, Revista de Educação e Ciências Humanas, Londrina, PR, v. 11, n. 1, p. 51-8, jun. 2010.

MONTEIRO, Rodrigo Rocha. O turismo em comunidades tradicionais faxinalenses: uma discussão sobre as transformações recentes no campo brasileiro e seus reflexos para as comunidades tradicionais. Revista Pegada, Presidente Prudente, SP, v. 14, n. 2, p. 177-93, dez. 2013 

MONTEIRO, Rodrigo Rocha. O novo rural em comunidades tradicionais faxinalenses: reflexões sobre a proposta de turismo para os faxinais do município de Mallet – Paraná – Brasil. Revista Geográfica de América Central, Costa Rica, Número Especial EGAL, p. 1-15, II sem. 2010.

MUDREI, Taciana Aparecida. Turismo rural: valorização da cultura ucraniana. Prudentópolis, PR: CEDEJOR - Centro de Desenvolvimento do Jovem Rural. 2011. 22 p. Projeto do Jovem Empreendedor Rural – PJER.

OLIVEIRA, Dircéia Antunes de. Os faxinais do município de Prudentópolis-PR: potencialidade e perspectivas para o turismo rural. 2008. Dissertação (Mestrado em Turismo e Hotelaria) - Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI), Balneário Camboriú, SC, 2008.

OSTROM, Elinor et al. Revisiting the commons: local lessons, global challenges. Science, v. 284, n. 5412, p.278-82, abr. 1999.

PRICE, Derek J. de Solla. O desenvolvimento da ciência: análise histórica, filosófica, sociológica e econômica. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, 1976.

SILVA, Mozart Martins. Diagnóstico da potencialidade turística da propriedade Faxinal Dérevo, na Comunidade Papanduva de Baixo do Município de Prudentópolis/PR. 2012. 59f. Monografia (Trabalho de Conclusão de Curso de Turismo) - Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO), Irati, PR, 2012.

SILVEIRA, Marcos T. Política de turismo: oportunidades ao desenvolvimento local. In: RODRIGUES, Adyr B. (Org.). Turismo rural: práticas e perspectivas. São Paulo: Contexto, 2001. p. 133-50.

SOLIS CAMPOS, Roger Alexis; GONZAGA, Carlos Alberto Marçal. Os faxinais do Paraná: uma revisão teórica e um estudo sobre sua mobilização social. In: CONINTER – CONGRESSO INTERNACIONAL INTERDISCIPLINAR EM SOCIAIS E HUMANIDADES, 4., 2015, Foz do Iguaçu, PR. Disponível em: https://www.academia.edu/20828546/OS_FAXINAIS_DO_PARAN%C3%81_UMA_REVIS%C3%83O_TE%C3%93RICA_E_UM_ESTUDO_SOBRE_SUA_MOBILIZA%C3%87%C3%83O_SOCIAL

TULIK, Olga. Do conceito às estratégias para o desenvolvimento do turismo rural. In: RODRIGUES, Adyr (Org.). Turismo e desenvolvimento local. São Paulo: Hucitec, 1997. p. 136-43.




DOI: http://dx.doi.org/10.20435/multi.v24i56.2035

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

ISSN online: 2447-9276
ISSN impresso: 1414-512X (até o número especial, set. 2015)