Capacitação da equipe de saúde da família para o cuidado com a saúde auditiva da criança

Mariane Amaral, Cristiana Magni

Resumo


A deficiência auditiva pode manifestar-se tardiamente em crianças de risco para essa privação sensorial de forma que limitar-se somente à Triagem Auditiva Neonatal pode restringir as possibilidades de identificação precoce da deficiência, bem como de realização da intervenção o quanto antes. A habilitação da Equipe de Saúde da Família para o monitoramento das crianças de risco é uma estratégia viável e prevista nas Diretrizes de Atenção da Triagem Auditiva Neonatal. Esta pesquisa teve como objetivo verificar quais metodologias têm sido utilizadas para capacitar a Equipe de Saúde da Família para o cuidado com a audição da criança. Os resultados encontrados apresentam foco nos Agentes Comunitários de Saúde, salientando o seu potencial na identificação de alterações auditivas na população infantil. As capacitações têm sido realizadas de forma presencial e a distância. As ferramentas de ensino a distância são eficazes, contudo o aprendizado de forma presencial continua sendo a metodologia mais efetiva.


Palavras-chave


capacitação; audição; saúde da família; revisão.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVARENGA, Kátia de Freitas et al. Questionário para monitoramento do desenvolvimento auditivo e de linguagem no primeiro ano de vida. CoDAS, São Paulo, v. 25, n. 1, p. 16-21, 2013.

ALVARENGA, Kátia Freitas et al. Proposta para capacitação de agentes comunitários de saúde em saúde auditiva. Pró-Fono Revista de Atualização Científica, Barueri, SP, v. 20, n. 3, p. 171-6, jul./set. 2008.

AMEMIYA, Erica Endo; GOULART, Barbara Niegia Garcia; CHIARI, Brasilia Maria. Use of nouns and verbs in the oral narrative of individuals with hearing impairment and normal hearing between 5 and 11 years of age. São Paulo Medical Journal, São Paulo, v. 131, n. 5, p. 289-95, 2013.

ARAKAWA, Aline M. et al. Avaliação de um programa de capacitação em fonoaudiologia para agentes comunitários de saúde na Amazônia brasileira. Distúrbios da Comunicação, São Paulo, v. 25, n. 2, ago. 2013.

ARAÚJO, Eliene Silva et al. Community health worker training for infant hearing health: effectiveness of distance learning. International Journal of Audiology, v. 52, n. 9, p. 636-41, set. 2013.

ARAÚJO, Eliene S.; JACOB-CORTELETTI, Lilian Cassia B.; ABRAMIDES, Dagma V. M.; ALVARENGA, Kátia F. Capacitação de agentes comunitários de saúde na área de saúde auditiva infantil: retenção da informação recebida. Revista CEFAC, São Paulo, v. 17, n. 2, p. 445-53, mar./abr. 2015.

BARBOSA, Camila Padilha et al. Educação em saúde auditiva do neonato e lactente para profissionais de enfermagem. Brazilian Journal of Otorhinolaryngology, São Paulo, v. 79, n. 2, p. 226-32, abr. 2013.

BERNARDI, Sarah Alvarenga et al. O uso da CIF no acompanhamento do desenvolvimento auditivo e de linguagem de crianças no primeiro ano de vida. Revista CEFAC, São Paulo, v. 19, n. 2, p. 159-70, mar./abr. 2017.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Departamento de Gestão da Educação na Saúde. Diretrizes para capacitação de agentes comunitários de saúde em linhas de cuidado. Brasília: Ministério da Saúde, 2016. 46 p.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Diretrizes de Atenção da Triagem Auditiva Neonatal. Brasília: Ministério da Saúde, 2012. 32 p.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria n. 2.488, de 21 de outubro de 2011. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica, para a Estratégia Saúde da Família (ESF) e o Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS). Diário Oficial da União, Brasília, 2011.

BRASIL. Lei n. 12.303, de 2 de agosto de 2010. Dispõe sobre a obrigatoriedade de realização do exame denominado Emissões Otoacústicas Evocadas. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 3 ago. 2010. Seção 1, p 1.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria n. 1.996, de 20 de agosto de 2007. Dispõe sobre as diretrizes para a implementação da política nacional de educação permanente em saúde e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 2007.

CASTRO, Taís Teixeira de Oliveira; ZUCKI, Fernanda. Capacitação do Agente Comunitário de Saúde na saúde auditiva infantil: perspectivas atuais. CoDAS, São Paulo, v. 27, n. 6, p. 616-22, dez. 2015.

CONCEIÇÃO, Heyder Vieira da; BARREIRA-NIELSEN, Carmen. Capacitação em saúde auditiva: avaliação da ferramenta no Programa de Telessaúde Brasil. Revista CEFAC, São Paulo, v. 16, n. 5, p. 1426-33, set./out. 2014.

COSTA, Letícia Splendor da; SILVA, Paula Botelho da; AZEVEDO, Marisa Frasson de; GIL, Daniela. Porcentagem de consoantes corretas (PCC) em crianças com deficiência auditiva: estudo longitudinal. Revista CEFAC, São Paulo, v. 19, n. 2, p. 171-9, mar./abr. 2017.

ESPOTE, Roberta; SERRALHA, Conceição Aparecida; SCORSOLINI-COMIN, Fabio. Inclusão de surdos: revisão integrativa da literatura científica. Psico-USF, Itatiba, SP, v. 18, n. 1, p. 77-88, jan./abr. 2013.

GERHARDT, Tatiana Engel; SILVEIRA, Denise Tolfo. Métodos de pesquisa. Porto Alegre, RS: Editora da UFRGS, 2009. 120 p.

LOPES, Nathália de C.; VIEIRA, Gleice Ane S. S.; PENA, Suelle Regina B.; LEMOS, Stela Maris A. Agentes comunitários de saúde: mapeamento de conhecimento antes e após oficinas de instrumentalização. Revista CEFAC, São Paulo, v. 17, n. 3, p. 683-94, maio/jun. 2015.

MELO, Tatiana Mendes de; ALVARENGA, Kátia de Freitas; BLASCA, Wanderléia Quinhoneiro; TAGA, Marcel Frederico de Lima. Capacitação de agentes comunitários de saúde em saúde auditiva: efetividade da videoconferência. Pró-Fono Revista de Atualização Científica, Barueri, SP, v. 22, n. 2, p. 139-44, abr./jun. 2010.

MELO, Tatiana Mendes de; ALVARENGA, Kátia de Freitas; BLASCA, Wanderléia Quinhoneiro; TAGA, Marcel Frederico de Lima. Opinião dos agentes comunitários de saúde sobre o uso da videoconferência na capacitação em saúde auditiva infantil. Revista CEFAC, São Paulo, v. 13, n. 4, p. 692-7, jul./ago. 2011.

MENDES, Karina Dal Sasso; SILVEIRA, Renata Cristina de Campos Pereira; GALVAO, Cristina Maria. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto & Contexto - Enfermagem, Florianópolis, v. 17, n. 4, p. 758-64, out./dez. 2008.

NASCIMENTO, Cynthia Maria Barboza do et al. Telefonoaudiologia como estratégia de educação permanente na atenção primária à saúde no Estado de Pernambuco. Revista CEFAC, São Paulo, v. 19, n. 3, p. 371-80, maio/jun. 2017.

WAGNER, Julianne; BONAMIGO, Andrea Wander; OLIVEIRA, Fabiana de; MACHADO, Márcia Salgado. Monitoramento da audição e da linguagem na atenção primária à saúde: projeto piloto. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 22, n. 11, p. 3599-606, nov. 2017.

WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO). Primary ear and hearing care training resource: basic, intermediate and advanced levels. Geneva: World Health Organization, 2006. Disponível em: http://www.who.int/pbd/deafness/activities/hearing_care/en/.




DOI: http://dx.doi.org/10.20435/multi.v24i56.1898

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

ISSN online: 2447-9276
ISSN impresso: 1414-512X (até o número especial, set. 2015)