ANÁLISE DO CONHECIMENTO SOBRE AS PRINCIPAIS ZOONOSES TRANSMITIDAS POR GATOS

Dálity Keffelen Barros Rodrigues, Evellin Damerie Venâncio Müller, Maria Cecilia Leite de Moraes

Resumo


Objetivou-se identificar o conhecimento dos indivíduos sobre as principais zoonoses transmitidas por gatos, seus mecanismos de transmissão, grupo de risco e meios de comunicação utilizados para informação sobre zoonoses. O estudo foi realizado com frequentadores de uma Policlínica Universitária em São Paulo, através da aplicação de um questionário estruturado. Na amostra constituída por 80 pessoas, 29% afirmaram conhecer a palavra zoonose e apenas 1% conheciam a esporotricose. Uma parcela significativa dos entrevistados desconhecia as formas de transmissão (39%), grupos mais vulneráveis para a toxoplasmose (39%) e raiva (21%). Os postos de saúde (41%) seguido da internet (29%) foram os meios mais utilizados para obter informações sobre zoonoses. Diante dos resultados, evidenciou-se a necessidade da difusão de conhecimento sobre zoonoses através de novas estratégias educativas em saúde de caráter preventivo, bem como a capacitação dos profissionais envolvidos nesse processo.


Palavras-chave


Saúde Pública; Zoonoses; Saúde Coletiva; Esporotricose

Texto completo:

PDF

Referências


CINERMAN, Benjamin. Parasitologia Humana e seus Fundamentos Gerais. São Paulo, Atheneu, 2008.

Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação. In: ABINPET, 2011. Disponível em: . Acesso em: 27 jun. 2017.

BRASIL. Governo do Brasil. Brasil é exemplo na erradiação da raiva animal e humana no mundo. 2012. Disponível em: < http://www.brasil.gov.br/saude/2012/10/brasil-e-exemplo-na-erradicacao-da-raiva-animal-e-humana-no-mundo>. Acesso em 26 de nov. 2017.

BRASIL. Guidelines for Zoonoses Surveillance, Prevention and Control: technical and operational standards. Brasília, 2016.

BRASIL. Portal da Saúde. Raiva. 2014. Disponível em: < http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/oministerio/principal/secretarias/svs/raiva>. Acesso em 26 de nov. 2017.

CEDIEL, N. et al. Risk perception about zoonoses in immigrants and Italian workers in Northwestern Italy. Revista de Saude Publica, v. 46, n. 5, p. 850-857, 2012.

LAGES, S.L.S. Avaliação da população de cães e gatos com proprietário, e do nível de conhecimento sobre a raiva e posse responsável em duas áreas contrastantes da cidade de Jaboticabal. Dissertação (Mestrado em Medicina Veterinária Preventiva) Programa de Pós-Graduação em Medicina Veterinária, Universidade Estadual Paulista, São Paulo, 2009.

LIMA, A.M.A. et al. Percepção sobre o conhecimento e profilaxia das zoonoses e posse responsável em pais de alunos do pré-escolar de escolas situadas na comunidade localizada no bairro de Dois Irmãos na cidade do Recife ( PE ). Ciência & saúde coletiva, v. 15, p. 1457-1464, 2010.

LIMA, A. F. M; LUNA, S. P. L. Algumas causas e consequências da superpopulação canina e felina: acaso ou descaso? Revista de Educação Continuada em Medicina Veterinária e Zootecnia do CRMV-SP, São Paulo, v. 10, n. 1, p. 32–38, 2012.

LOPES, F.M. R. et al. Toxoplasma gondii infection in pregnancy. Brazilian Journal of Infectious Diseases, v. 11, n. 5, p. 496-506, 2007.

MARTINS, A.C.C. et al. Percepção do risco de transmissão de zoonoses em um Centro de Referência. Revista Eletrônica Comum Informação Inovação em Saúde, v. 9, n. 3, 2015.

MATEUS, T.L. et al. Multiple zoonotic parasites identified in dog feces collected in Ponte de Lima, Portugal - A potential threat to human health. International Journal Environmental Research and Public Health, v. 11, n. 9, p. 9050-9067, 2014.

MILANO, A. et al. Contaminación por parásitos caninos de importancia zoonótica en playas de la ciudad de Corrientes, Argentina. Parasitología latinoamericana, v. 57, n. 3-4, p. 119-123, 2002.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Protocolo de Tratamento para a raiva humana no Brasil. Brasília-DF. 2011.

NEVES, David Pereira. Parasitologia Humana. São Paulo, Editora Atheneu, 2011.

NUNES, E.R.C. et al. Percepção dos idosos sobre o conhecimento e profilaxia de zoonoses parasitárias. IX Jornada de ensino, pesquisa e extensão (IX JEPEX), UFRPE, p. 3, 2009.

PALACIO, J. et al. Incidence of and risk factors for cat bites: a first step in prevention and treatment of feline aggression. Journal of Feline Medicine and Surgery, v. 9, n. 3, p. 188-195, 2007.

PRADO, A.A.F. et al. Toxoplasmose: o que o profissional da saúde deve saber. Enciclopédia Biosfera, p.1-30, 2011.

SANTANA, L. R.; OLIVEIRA, T. P. Guarda responsável e dignidade dos animais. Revista Brasileira de Direito Animal, v. 1, n. 1, p. 67-105, 2006.

SILVA, M.B.T. et al. Esporotricose urbana: epidemia negligenciada no Rio de Janeiro, Brasil. Cadernos Saude Publica, p. 1867-1880, 2012.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE DERMATOLOGIA. Esporotricose. Disponível em: . Acesso em 13 nov. 2017.

TAYLOR, L.H. et al. Risk factors for human disease emergence. The Royal society, v. 356, n. 1411, p. 983–989, 2001.

VIEIRA, A.M.L. et al. Programa de Controle de Cães e Gatos do Estado de São Paulo, BEPA, São Paulo, v. 3, p. 25, 2006.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. In: WHO, 2017. Disponível em: . Acesso em: 18 set. 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.20435/multi.v23i55.1775

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

ISSN online: 2447-9276
ISSN impresso: 1414-512X (até o número especial, set. 2015)