Qualidade de vida, sedentarismo e o impacto econômico do diabético, no sistema municipal de saúde

Marcos Tadeu Grzelczak, William Cordeiro de Souza, Valderi Abreu de Lima, Luis Paulo Gomes Mascarenhas

Resumo


O presente estudo teve por objetivo investigar a possível relação entre prática de atividade física (AF), qualidade de vida (QV) e custo medicamentoso na população diabética cadastrada pelo HIPERDIA, no Sistema Público de Saúde de Porto União, SC. Os resultados demonstraram não haver diferença estatística nas variáveis antropométricas, IMC, custo medicamento e QV entre o grupo ativo (G1) e o grupo inativo (G2) diabéticos, cabe mencionar que o Delta (∆) de variação foi maior em todos os valores para o grupo inativo (G2), em que o percentual ficou na casa de 50%. Sendo assim, foi verificado que os diabéticos que apresentaram maiores índices de AF, necessitam de menos medicação em relação aos sedentários.


Palavras-chave


qualidade de vida; políticas públicas; diabetes.

Texto completo:

PDF

Referências


AMERICAN COLLEGE OF SPORTS MEDICINE (ACSM). ACSM's guidelines for exercise testing and prescription. Lippincott Williams & Wilkins, 2013.

BAECKE, J. A.; BUREMA, J.; FRIJTERS, J. E. A short questionnaire for the measurement of habitual physical activity in epidemiological studies. The American Journal of Clinical Nutrition, v. 36, n. 5, p. 936-42, 1982.

BAHIA, L. R.; ARAUJO, D. V.; SCHAAN, B. D.; DIB, S. A.; NEGRATO, C. A.; LEÃO, M. P.; RAMOS, A. J.; FORTI, A. C.; GOMES, M. B.; FOSS, M. C.; MONTEIRO, R. A.; SARTORELLI, D.; FRANCO, L. J. The costs of type 2 diabetes mellitus outpatient carein the Brazilian public health system. Value Health, v. 15, suplemento n. 5, p. S137-40,  2011. 

BIELEMANN, R. M.; KNUTH, A. G.; HALLAL, P. R. C. Atividade física e redução de custos por doenças crônicas ao Sistema Único de Saúde. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde, Pelotas, v. 15, n. 1, p. 9-14, 2010. 

CODOGNO, J. S.; FERNANDES, R. A.; MONTEIRO, H. L. Prática de atividades físicas e custo do tratamento ambulatorial de diabéticos tipo 2 atendidos em unidade básica de saúde. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia Metabólica, São Paulo, v. 56, n. 1, p. 6-11, 2012.

FELIPPE, F.; SANTOS, A. M. Novas demandas profissionais: obesidade em foco. Revista da ADPPUCRS, Porto Alegre, n. 5, p. 63-70, 2004.

FERNANDES, R. A.; CHRISTOFARO, D. G. D.; CASONATTO, J.; CODOGNO, J. S.; RODRIGUES, E.; CARDOSO, M.; KAWAGUTI, S.; ZANESSO, A. Prevalência de dislipidemia em indivíduos fisicamente ativos durante a infância, adolescência e idade adulta. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, Rio de Janeiro, v. 97, n. 4, p. 317-23, 2011. 

FORNAZARI, S.; FERREIRA, R. E. R. Religiosidade/espiritualidade em pacientes oncológicos: qualidade de vida e saúde. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, v. 26, n. 2, p. 265-72, 2010. 

FRANCHI, K. M. B.; MONTEIRO, L. Z.; MEDEIROS, A. I. A.; ALMEIDA, S. B.; PINHEIRO, M. H. N. P.; MONTENEGRO, R. M.; MONTENEGRO JR, R. M. Estudo comparativo do conhecimento e prática de atividade física de idosos diabéticos tipo 2 e não diabéticos. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, Rio de Janeiro, v. 11, n. 3, p. 327-39, 2008. 

GIGANTE, D. P.; MOURA, E. C.; SARDINHA, L. M. V. Prevalência de excesso de peso e obesidade e fatores associados, Brasil, 2006. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 43, suplemento, n. 2, p. 83-9, 2009. 

JANNUZZI, P. M. Considerações sobre o uso, mau uso e abuso dos indicadores sociais na formulação e avaliação de políticas públicas municipais. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 36, n. 1, p. 51-72, 2002. 

KURA, G. G.; RIBEIRO, L. S. P.; NIQUETTI, R.; TOURINHO FILHO, H. Nível de atividade física, IMC e índices de força muscular estática entre idosas praticantes de hidroginástica e ginástica. Revista Brasileira de Ciências do Envelhecimento Humano, Passo Fundo, v. 1, n. 2, p. 30-40, 2004. 

LUENGO, C. M. L.; ANJOS MENDONÇA, A. R. Espiritualidade e qualidade de vida em pacientes com diabetes. Revista Bioética, Brasília, v. 22, n. 2, p. 380-7, 2014. 

MALTA, D. C.; CASTRO, A. M.; GOSCH, C. S.; CRUZ, D. K. A.; BRESSAN, A.; NOGUEIRA, J. D.; MORAIS NETO, O. L.; TEMPORÃO, J. G.A Política Nacional de Promoção da Saúde e a agenda da atividade física no contexto do SUS. Epidemiologia e Serviços de Saúde, Brasília, v. 18, n. 1, p. 79-86, 2009.

MIRANZI, S. S. C.; FERREIRA, F. S.; IWAMOTO, H. H.; PEREIRA, G. A.; MIRANZI, A. S. Qualidade de vida de indivíduos com diabetes mellitus e hipertensão acompanhados por uma equipe de saúde da família. Texto e Contexto - Enfermagem, Florianópolis, v. 17, n. 4, p. 672-9, 2008.

MOREIRA, R. M.; TEIXEIRA, R. M.; NOVAES, K. O. Contribuições da atividade física na promoção da saúde, autonomia e independência de idosos. Kairós. Revista da Faculdade de Ciências Humanas e Saúde, v. 17, n. 1, p. 201-17, 2014. 

MOTA, J.; RIBEIRO, J. L.; CARVALHO, J.; MATOS, M. J. Atividade física e qualidade de vida associada à saúde em idosos participantes e não participantes em programas regulares de atividade física. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 20, n. 3, p. 219-25, 2006.

NATIONAL INSTITUTE OF DIABETES AND DIGESTIVE AND KIDNEY DISEASES. Overweight and Obesity Statistics. Disponível em: <https://www.niddk.nih.gov/health-information/health-statistics/Pages/overweight-obesity-statistics.aspx>. Acesso em: 24 maio 2016. 

NEGRÃO, C. E.; RONDON, M. U. P. B. Exercício físico, hipertensão e controle barorreflexo da pressão arterial. Revista Brasileira de Hipertensão, v. 8, n. 1, p. 89-95, 2001. 

PANZINI, R. G.; ROCHA, N. S.; BANDEIRA, D. R.; FLECK, M. P. A. Qualidade de vida e espiritualidade. Revista Psiquiatria Clínica, v. 34, n. suplemento 1, p. 105-115, 2007. 

PETERMAN, A H.; FITCHETT, G.; BRADY, M. J.;  HERNANDEZ, L.; CELLA, D. Measuring spiritual well-being in people with cancer: The functional assessment of chronic illness therapy-spiritual well-being scale (FACIT-Sp). Annals of Behavioral Medicine, v. 24, n. 1, p. 49-58, 2002. 

PETROSKI, E. L. Antropometria: técnicas e padronizações. 5. ed. Fontoura, 2011. 

RANA, J. S.; LI, T. Y.; MANSON, F. E.; HU, F. B. Adiposity compared with physical inactivity and risk of type 2 diabetes in women. Diabetes Care, v. 30, n. 1, p. 53-8, 2007. 

SANTOS, C. B. Análise dos Dados do WHOQOL-100 utilizando Data Mining. 2007. Dissertação (Mestrado em Engenharia da Produção) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Ponta Grossa, PR, 2007. 

SILVA, I.; RIBEIRO, J. L. P.; CARDOSO, H. Adesão ao tratamento da diabetes Mellitus: a importância das características demográficas e clínicas. Revista Referência, v. 2, n. 2, p. 33-41, 2006. 

SILVA, M. F.; GOULART, N. B. A.; LANFERDINI, F. J.; MARCON, M.; DIAS, C. P. Relação entre os níveis de atividade física e qualidade de vida de idosos sedentários e fisicamente ativos. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, v. 15, n. 4, p. 635-42, 2012. 

THE WHOQOL GROUP. The World Health Organization quality of life assessment (WHOQOL): development and general psychometric properties. Social Science and Medicine, v. 46, n. 12, 1569-85, 1998. 

TOSCANO, C. M. As campanhas nacionais para detecção das doenças crônicas não-transmissíveis: diabetes e hipertensão arterial. Ciências de saúde coletiva, v. 9, n. 4, p. 885-95, 2004.  

TURI, B. C.; CODOGNO, J. S.; FERNANDES, R. A.; MONTEIRO, H. L. Associação entre doenças crônicas em adultos e redução dos níveis de atividade física. Medicina, v. 44, n. 4, p. 389-95, 2011. 

VARGAS, L. S.; LARA, M. V. S.; MELLO-CARPES, P. B. Influence of diabetes and physical exercise, mental and recreational activities practice on the cognitive function and emotionality in aging groups. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, v. 17, n. 4, p. 867-78, 2014. 

VUORI, I. Physical inactivity is a cause and physical activity is a remedy for major public health problems. Kinesiology, v. 36, n. 2, p. 123-53, 2004. 

WANDERLEY, E. N.; FERREIRA, V. A. Obesidade: uma perspectiva plural. Ciência e Saúde Coletiva, v. 15, n. 1, p. 185-94, 2010.




DOI: http://dx.doi.org/10.20435/multi.v23i54.1735

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

ISSN online: 2447-9276
ISSN impresso: 1414-512X (até o número especial, set. 2015)