A arte perdida do beber católico

Laércio Fidelis Dias

Resumo


Há um estilo de beber católico e outro estilo protestante, e a diferença não é meramente a quantidade. Não disponho de dados científicos para sustentar minhas afirmações, tampouco disponho da compilação de estudos formais acerca da questão. Mas disponho de, digamos, um bom bocado de estudos informais que, para uma hipótese como a minha, é do melhor tipo. Para começar, o que é um estilo católico de beber? É difícil definir, mas, a seguir, apresento um exemplo histórico. St. Arnold (580-640), também conhecido como St. Arnulf de Metz, foi um bispo de Metz do século VII, que mais tarde tornou-se a França. Muito amado pelo povo, St. Arnold dizia ter pregado contra a água potável, o que àqueles dias poderia ser extremamente perigoso devido a sistemas de esgoto insalubres – ou, absolutamente, nenhum sistema de esgoto. Ao mesmo tempo, ele, com frequência, destacou os benefícios da cerveja, a quem é creditada a seguinte frase: "A partir do suor do homem e o amor de Deus, a cerveja veio ao mundo."


Palavras-chave


cerveja; história das religiões; padrões de consumo.

Texto completo:

PDF

Referências


DAILEY, Sean P. The lost art of catholic drinking. Catholic Exchange, dez. 2013. Disponível em: <http://catholicexchange.com/catholic-drinking>. Acesso em: fev. 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.20435/multi.v22i52.1591

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

ISSN online: 2447-9276
ISSN impresso: 1414-512X (até o número especial, set. 2015)