A inadequabilidade técnica da aplicação da NBR 10.004 para a caracterização e classificação de solos escavados com potencial de contaminação

Fabiana Alves Cagnon, Allan Dombrowski Francisco, Ednilson Viana, Homero Fonseca Filho

Resumo


Uma classificação inadequada de solos pode resultar em uma disposição também inadequada destes, com impactos de ordem financeira e ambiental. Assim, o objetivo deste trabalho foi demonstrar, por meio de um estudo de caso, a inadequabilidade de utilização da norma técnica NBR 10.004, concebida para a classificação de resíduos industriais, quando utilizada para caracterizar e classificar solos escavados com potencial de contaminação. Para tanto, fez-se uma avaliação comparativa de resultados analíticos, obtidos por meio de ensaios de lixiviação e solubilização de quatro amostras de solo. De acordo com os resultados obtidos, os solos caracterizados foram classificados como Classe II A – não inerte, ao invés de IIB inerte. Os resultados mostram que é imprescindível a readequação ou um novo método de classificação dos solos, sempre que esse material precisar ser avaliado em função da presença de potencial contaminação, capaz de orientar a sua adequada disposição final.

Palavras-chave


resíduos; contaminação; impacto ambiental; normatização

Texto completo:

PDF

Referências


ANGULO, Sérgio Cirelli et al. Resíduos de construção e demolição: avaliação de métodos de quantificação. Engenharia Sanitaria e Ambiental, Rio de Janeiro, v. 16, n. 3, jul./set. 2011. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/esa/v16n3/v16n3a13>. Acesso em: 15 out. 2012.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EMPRESAS DE LIMPEZA PUBLICA E RESÍDUOS ESPECIAIS (ABRELPE). Panorama dos resíduos sólidos no Brasil. São Paulo: Grappa, 2012. 116p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). NBR ISO/IEC 17.025: Requisitos Gerais para a Competência de Laboratórios de Ensaio e Calibração. Rio de Janeiro, 2005. 37p.

______. NBR 10.004: Classificação de Resíduos. Rio de Janeiro, 2004a, 71p.

______. NBR 10.005: Lixiviação de Resíduos - Procedimento. Rio de Janeiro, 2004b. 16p.

______. NBR 10.006: Solubilização de Resíduos - Procedimento. Rio de Janeiro, 2004c. 3p.

______. NBR 10.007: Amostragem de resíduos sólidos. Rio de Janeiro, 2004d. 21p.

BRASIL. Lei n. 12.305, de 2 de agosto de 2010a. Regulamento Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 03 ago. 2010. Seção 1, p.3.

______. Decreto n. 7.404, de 23 de dezembro de 2010b. Regulamenta a Lei no 12.305, de 2 de agosto de 2010 , que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos, cri a o Comitê Interministerial da Política Nacional d e Resíduos Sólidos e o Comitê Orientador para a Implantação dos Sistemas de Logística Reversa, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez. 2010a. Seção 1, p. 1.

______. Conselho Nacional do Meio Ambiente. Resolução CONAMA n. 420, de 28 de dezembro de 2009. Dispõe sobre critérios e valores orientadores de qualidade do solo quanto à presença de substâncias químicas e estabelece outras diretrizes. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 30 dez. 2009, p. 81-84.

______. Conselho Nacional do Meio Ambiente. Resolução CONAMA n. 307, de 5 de julho de 2002. Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil, disciplinando as ações necessárias de forma a minimizar os impactos ambientais. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 17 jul. 2002. Seção 1, p. 95-96. Alterada pela Resolução no 348/04 (alterado o inciso IV do art. 3º)

CAGNON, F. A. et. al. Implantação de ferrovias de alta velocidade: contribuição metodológica para o gerenciamento ambiental de obras lineares em áreas contaminadas e potencialmente contaminadas. Revista Transportes, v. 23, n. 2, p. 117-23, 2015.

COMPANHIA AMBIENTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO (CETESB). Decisão de Diretoria n. 045/2014E/C/I, de 20 de fevereiro de 2014. Dispõe sobre a aprovação dos Valores Orientadores para Solos e Águas Subterrâneas no Estado de São Paulo – 2014, em substituição aos Valores Orientadores de 2005 e dá outras providências. São Paulo, 2014.

______. Amostragem de Solo – 6300, de setembro de 1999. Manual de Gerenciamento de Áreas contaminadas. Disponível em: <http://www.cetesb.sp.gov.br/solo/areas_contaminadas/anexos/download/6300.pdf>. Acesso em: 7 jul. 2014.

LIMA, A. S.; CABRAL, A. E. B. Caracterização e classificação dos resíduos de construção civil da cidade de Fortaleza (CE). Engenharia Sanitária e Ambiental, v. 18, n. 2, p. 169-76, abr./jun. 2013. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/esa/v18n2/a09v18n2.pdf>. Acesso em: 30 dez. 2013.

SÃO PAULO (Estado). Panorama dos resíduos sólidos em São Paulo: versão preliminar. São Paulo, 2014. 209p. Disponível em: <www.ambiente.sp.gov.br/cpla/files/2014/01/PANORAMA_RS_web.pdf. Acesso em: 19 jan. 2014.

______. Decreto n. 59.263, de 05 de Junho de 2013 . Regulamenta a Lei no 13.577, de 8 de julho de 2009, que dispõe sobre diretrizes e procedimentos para a proteção da qualidade do solo e gerenciamento de áreas contaminadas, e dá outras providências correlatas. Diário Oficial - Executivo. São Paulo, SP, 6 jun. 2013, p. 1.

______. Lei n. 13.577, de 8 de julho de 2009. Dispõe sobre diretrizes e procedimentos para a proteção da qualidade do solo e gerenciamento de áreas contaminadas, e dá outras providências correlatas. Diário Oficial - Executivo. São Paulo, SP, 9 jul. 2009, p. 1.

______. Lei n. 12.300, de 16 de março de 2006. Institui a Política Estadual de Resíduos Sólidos e define princípios e diretrizes. Diário Oficial - Executivo. São Paulo, SP, 17 mar. 2006. p. 1.

SCHNEIDER, D. M. Deposições irregulares de resíduos da construção civil na cidade de São Paulo. 2003. Dissertação (Mestrado em de Saúde Pública) - Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, 2003. Acesso em 19 jan. 2014. Disponível em: <http://www.ietsp.com.br/static/media/media-files/2015/01/23/Dissert_Schneider_-_DIs_de_RCC_na_Cidade_de_S%C3%A3o_Paulo.pdf>.

SINDICATO DAS INDÚSTRIAS DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO ESTADO DE SÃO PAULO (SINDUSCON-SP). Resíduos da construção civil e o Estado de São Paulo. 2012. 85p. Disponível em: <http://arquivos.ambiente.sp.gov.br/municipioverdeazul/2012/08/residuos_construcao_civil_sp.pdf>. Acesso em: 19 abr. 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.20435/multi.v23i53.1586

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

ISSN online: 2447-9276
ISSN impresso: 1414-512X (até o número especial, set. 2015)