Cookies de aveia adicionados de farinha da casca de abobrinha: análise físico-química e sensorial entre crianças

Ana Raíssa Orloski, Marielli Barbosa dos Santos, Elisvânia Freitas dos Santos, Daiana Novello

Resumo


O objetivo do estudo foi avaliar a aceitabilidade sensorial de cookies adicionados de Farinha da Casca de Abobrinha (FCA). Também, determinar a composição físico-química da formulação padrão e daquela contendo maior teor de FCA com aceitação semelhante ao padrão. Foram desenvolvidas 5 formulações de cookies: F1 (0% FCA) e as demais adicionadas de 5% (F2), 10% (F3), 15% (F4) e 20% (F5) de FCA. Participaram da avaliação sensorial 70 provadores não treinados de 7 a 10 anos. Maiores notas foram verificadas para as amostras F1 e F2 (p<0,05) em todos os atributos e para a aceitação global, sendo que não houve diferença estatística entre as demais amostras. Maiores teores de umidade, cinzas, proteínas, lipídios, calorias e fibras e menores de carboidratos foram verificados em F2. Conclui-se que um nível de adição de até 5% de FCA em cookies foi bem aceito pelos provadores, obtendo-se boas expectativas de comercialização.


Palavras-chave


aceitabilidade; aproveitamento integral; nutrição; subproduto

Texto completo:

PDF

Referências


AOAC INTERNATIONAL. Official Methods of Analysis of AOAC International. 18. ed. Gaithersburg: AOAC, 2011.

ARAÚJO, F. F. Alterações pós-colheita e resposta ao etileno em frutos de abobrinha “menina brasileira”. 2014. 57f. Dissertação (Mestrado em Fitotecnia) - Universidade Federal de Viçosa (UFV), Viçosa, MG, 2014.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS INDÚSTRIAS DE BISCOITOS, MASSAS ALIMENTÍCIAS E PÃES E BOLOS INDUSTRIALIZADOS (ABIMAPI). Categorias de biscoitos, massas alimentícias, pães e bolos industrializados fecham 2015 com faturamento de R$ 35,4 bilhões. 28 mar. 2016. Disponível em: <https://www.abimapi.com.br/noticias-detalhe.php?i=MTc1OQ==>. Acesso em: 2 jun. 2017.

BHOWMIK, S. R.; PAN, A. J. C. Shelf life of mature green tomatoes stored in controlled atmosphere and high humidity. Journal of Food Science, Chicago, v. 57, n. 4, p. 948-95, jul. 1992.

BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Resolução RDC n. 54, de 12 de novembro de 2012. Regulamento técnico Mercosul sobre informação nutricional complementar (declarações de propriedades nutricionais). Diário Oficial União, Poder Executivo, Brasília, DF, 2012.

______. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Resolução RDC n. 263, de 22 de setembro de 2005. Regulamento Técnico para produtos de cereais, amidos, farinhas e farelos. Diário Oficial União, Poder Executivo, Brasília, DF, 2005.

______. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Resolução CNNPA n. 12, de julho de 1978. Normas técnicas especiais relativas a alimentos (e bebidas). Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília, DF, 1978.

CHRISTIE, L.; HINE, R. J.; PARKER, J. G.; BURKS, W. Food allergies in children affect nutrient intake and growth. Journal of the American Dietetic Association, Chicago, v. 102, n. 11, p. 1648-51, nov. 2002.

CUERVO, A.; SALASAR, N.; RUAS-MADIEDO, P.; GUEIMONDE, M.; GONZÁLEZ, S. Fiber from a regular diet is directly associated with fecal short-chain fatty acid concentrations in the elderly. Nutrition Research, New York, v. 33, n. 10, p. 811-6, out. 2013.

DIETARY REFERENCE INTAKES (DRI). Dietary Reference Intakes for energy, carbohydrate, fiber, fat, fatty acids, cholesterol, protein and amino acids. Washington: National Academy Press, 2005.

DUTCOSKY, S. D. Análise sensorial de alimentos. Curitiba: Champagnat, 2013.

FERRARI, A. C. Influência familiar na alimentação infantil. 2012. 14f. Monografia (Especialização em Nutrição Clínica) - Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUI), Ijuí, RS, 2012.

FIORDA, F. A.; SOARES JÚNIOR, M. S.; SILVA, F. A.; SOUTO, L. R. F.; GROSSMANN, M. V. E. Farinha de bagaço de mandioca: aproveitamento de subproduto e comparação com fécula de mandioca. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 43, n. 4, p. 408-16, out./dez. 2013.

FOOD INGREDIENTS BRASIL (FIB). Os aminoácidos e o sabor. Food Ingredients Brasil, v. 16, n. 31, p. 70-6, 2014.

KATINA, K.; SALMENKALIO-MARTTILA, M.; PARTANEN, R.; FORSSELL, P.; AUTIO, K. Effects of sourdough and enzymes on staling of high-fibre wheat bread. Food Science and Technology, London, v. 39, n. 5, p. 479-91, jun. 2006.

KIM, M. Y.; KIM, E. J.; KIM, Y. N; CHANGSUN, C.; BOG-HIEU, L. Comparison of the chemical compositions and nutritive values of various pumpkin (Cucurbitaceas) species and parts. Nutrition Research and Practice, Seoul, v. 6, n. 1, p. 21-7, fev. 2012.

LEWINSOHN, E.; SITRIT, Y.; BAR, E.; AZULAY, Y.; IBDAH, M.; MEIR, A.; YOSEF, E.; ZAMIR, D.; TADMOR, Y. Not just colors - carotenoid degradation as a link between pigmentation and aroma in tomato and watermelon fruit. Food Science & Tecnhology, London, v. 16, n. 9, p. 407-15, set. 2005.

MERRILL, A. L.; WATT, B. K. Energy value of foods: basis and derivation. Washington: USDA, 1973. (Agricultural Handbook, n. 74).

NYAM, K. L.; LAU, M.; TAN, C. P. Fibre from Pumpkin (Cucurbita pepo L.) seeds and rinds: physico-chemical properties, antioxidant capacity and application as bakery product ingredients. Malaysian Journal of Nutrition, Kuala Lumpur, v. 19, n. 1, p. 99-109, abr. 2013.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A ALIMENTAÇÃO E A AGRICULTURA (FAO). Desperdício de alimentos tem consequências no clima, na água, na terra e na biodiversidade. 2013. Disponível em: <https://www.fao.org.br/daccatb.asp>. Acesso em: 8 jan. 2017.

PORTELA, J. V. F. Estudo dos aspectos tecnológicos e de qualidade envolvidos no aproveitamento da casca e da polpa da melancia (citrullus lanatus schrad). 2009. 132f. Dissertação (Mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos) - Universidade Federal da Paraíba (UFPB), João Pessoa, PB, 2009.

ROMOJARO, F.; MARTÍNEZ-MADRID, M. C.; HIDALGO, F. S. Nuevas tecnologías de conservación de frutas y hortalizas: atmosferas modificadas. Madri: Mundi-prensa, 1996.

PARANÁ (Estado). Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento (SEAB). 2013. Olericultura – análise da conjuntura agropecuária. 2013. Disponível em: <http://www.agricultura.pr.gov.br/arquivos/File/deral/Prognosticos /olericultura_2012_13.pdf>. Acesso em: 10 jan. 2017.

NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM ALIMENTAÇÃO (NEPA). Tabela Brasileira de Composição dos Alimentos (TACO). 4. ed. Campinas, SP: NEPA/UNICAMP, 2011.

TAIZ, L.; ZEIGER, E. Fisiologia vegetal. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2013.

TEIXEIRA, E.; MEINERT, E. M.; BARBETTA, P. A. Análise sensorial de alimentos. Florianópolis: Editora UFSC, 1987.

WILLS, R.; McGLASSON, B.; GRAHAM, D.; JOYCE, D. Postharvest: an introduction to the physiology & handling of fruit, vegetables & ornamentals. 4. ed. Wallingford: CAB International, 1998. 




DOI: http://dx.doi.org/10.20435/multi.v23i53.1480

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

ISSN online: 2447-9276
ISSN impresso: 1414-512X (até o número especial, set. 2015)