Análise da Pegada Ecológica no Campus de Tupã da Universidade Estadual Paulista

Luana Ferreira Pires, Angélica Gois Morales, Ricardo Cesar Gonçalves Sant'Ana

Resumo


O objetivo geral desta pesquisa foi analisar o impacto ambiental exercido pelas atividades no Campus de Tupã da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP), a partir do cálculo da Pegada Ecológica. A metodologia envolveu estudo de caso, abordagem mista e levantamento de dados primários e secundários, com aplicação de questionários semiestruturados aos discentes, docentes e técnicos administrativos do Campus, considerando um período de 12 meses. Para o cálculo da Pegada Ecológica, foram admitidas as mesmas equações de uma pesquisa realizada Campus de São Carlos da Universidade de São Paulo (USP), permitindo a comparação dos resultados. Esta pesquisa contribui para conhecimento das responsabilidades de cada um e da própria instituição mediante seu impacto ambiental, bem como pode proporcionar informações para possíveis atitudes mais sustentáveis na gestão e no comportamento coletivo e individual no Campus de Tupã.

Palavras-chave


impacto ambiental, indicador de sustentabilidade, padrão de consumo

Texto completo:

PDF

Referências


AMARAL, R. C. Análise da aplicabilidade da Pegada Ecológica em contextos universitários: estudo de caso no campus de São Carlos da Universidade de São Paulo. 2010. Monografia (Bacharelado em Engenharia Ambiental) – Universidade de São Paulo, São Carlos, SP, 2010. Disponível em: <http://www.tcc.sc.usp.br/tce/disponiveis/18/180300/tce-15022011-145930/publico/Amaral_Renata_Castiglioni.pdf >. Acesso em: 20 maio 2014.

AMARAL, R.; HERAS, D. B.; LEME, P. C. S.; MALHEIROS, T. F. Aplicabilidade da pegada ecológica em contextos universitários. In: PHILIPPI JÚNIOR, A.; MALHEIROS, T. F. (Org.). Indicadores de sustentabilidade e gestão ambiental. Barueri, SP: Manole, 2013. p. 495-522.

BARROS, M. V. A.; KIELING, A. C. Ecological footprint: approximate for a study on applicability of Industrial Industries Polo Manaus Free Zone – PIM (Brazil). Review of Research, v. 4, n. 6, p. 1-6, mar. 2015. Disponível em: <http://ror.isrj.org/UploadedData/1423.pdf>. Acesso em: 13 set. 2015.

BELLEN, H. M. V. Indicadores de sustentabilidade: uma análise comparativa. Rio de Janeiro: FGV, 2006.

CONSELHO DE REITORES DAS UNIVERSIDADES ESTADUAIS PAULISTAS (CRUESP). Ofício n. 22/2005 dirigido ao Governador do Estado de São Paulo, 2005. Disponível em: <http://www.adusp.org.br/files/database/2014/cruesp/of_cruesp_gov.pdf>. Acesso em: 17 ago. 2014.

MORALES, A. G. A formação do profissional educador ambiental: reflexões, possibilidades e constatações. Ponta Grossa, PR: UEPG, 2012.

NESS, B.; URBEL-PIIRSALU, E.; ANDERBERG, S.; OLSSON, L. Categorising tools for sustainability assessment. Ecological Economics, v. 60, n. 3, p. 498-508, jan. 2007. Disponível em: <http://ac.els-cdn.com/S0921800906003636/1-s2.0-S0921800906003636-main.pdf?_tid=9bd67306-8e5c-11e6-bf5a-00000aab0f02&acdnat=1476044088_242aa0d19cf209a8f5a23f12d0eb9737>. Acesso em: 7 ago. 2015.

NEVES, M. L. H. Desenvolvimento, economia e ecologia: um balanço. 2013. Monografia (Bacharelado em Ciências Econômicas) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2013. Disponível em: <http://cnm.ufsc.br/files/2013/09/Monografia-da-Maria-Luiza-Neves.pdf>. Acesso em: 6 out. 2015.

OLALLA-TÁRRAGA, M. A. Indicadores de sostenibilidad y huella ecológica: aazplicación a la UAM. Proyeto de Fin de Carrera de la Licienciatura de Ciencias Ambientales, 2003. <http://www.uam.es/servicios/ecocampus/especifica/descargas/investigacion/Resumen_PFC_Indicadores.pdf>. Acesso em: 23 maio 2014.

QUIROGA, R. M. Indicadores de sostenibilidade ambiental y de desarollo sostenible: estado del arte y perspectivas. Santiago do Chile: Naciones Unidas, 2001.

RODRÍGUEZ, R. L.; IGLESIAS, J. L. T.; ÁLVAREZ, N. L. Impacto ambiental en centros da USC. Vicerreitoría de Calidade e Planificación. 2008. 52p. Disponível em: <http://www.usc.es/plands/seccions/datos_plan/eixe2/pegada_ecoloxica/estudo/estudo_pdf/impacto%20ambiental%20final%20web-6-6-08.pdf>. Acesso em: 3 out. 2014.

SEBASTIÃO, I. L. C. Aplicação da Pegada Ecológica ao turismo: como a Pegada Ecológica pode influenciar a gestão ambiental. 2010. Dissertação (Mestrado em Gestão e Políticas Ambientais) – Universidade Nova de Lisboa, Lisboa, 2010. Disponível em: <https://run.unl.pt/bitstream/10362/4988/1/Sebastiao_2010.pdf >. Acesso em: 15 out. 2015.

TURNER, K.; LENZEN, M.; WIEDMANN, T.; BARRETT, J. Examining the global environmental impact of regional consumption activities – Part 1: A technical note on combining input-output and ecological footprint analysis. Ecological Economics, v. 62, n. 1, p. 37-44, abr. 2007. Disponível em: <http://ac.els-cdn.com/S0921800906005933/1-s2.0-S0921800906005933-main.pdf?_tid=806491b6-8e61-11e6-9bd1-00000aab0f6b&acdnat=1476046189_ded9be4771d10718557b012ba4f9c3ea>. Acesso em: 23 maio 2014.

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA “JÚLIO DE MESQUITA FILHO” (UNESP). Anuário Estatístico, 2015.   Disponível      em: <https://ape.unesp.br/anuario/pdf/Anuario2015_NOVO.pdf>. Acesso em: maio 2016.

______. Campus de Tupã. Plano Anual de Atividades, 2012. Disponível em: <http://www.tupa.unesp.br/Home/ConselhoDiretor/plano_de_atividades_2012.pdf>. Acesso em: 7 ago. 2014.

WACKERNAGEL, M.; REES, W. Our ecological footprint: reducing human impact on the Earth. 9. ed. Canadá: New Society Publishers, 1996.

WORLD WILDLIFE FUND (WWF). Pegada Ecológica: que marcas queremos deixar no planeta. 2007.            Disponível      em: <http://assets.wwfbr.panda.org/downloads/19mai08_wwf_pegada.pdf>. Acesso em: maio 2014.




DOI: http://dx.doi.org/10.20435/multi.v22i51.1413

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

ISSN online: 2447-9276
ISSN impresso: 1414-512X (até o número especial, set. 2015)