Relação entre condições climáticas e incidência de dengue no município de Campo Grande, MS

Iael Cristina da Silva Pacheco Marinheiro, Alexandra Maria Almeida Carvalho, Elenir Rose Jardim Cury Pontes, Maria da Graça da Silva, Maria Gorette dos Reis

Resumo


As mudanças climáticas têm sido observadas pela população mundial, e seus fatores podem afetar o ciclo biológico de diversas doenças, como a dengue, enfermidade de caráter endêmico/epidêmico, transmitida pelo Aedes agyptis. Diante disso, o objetivo deste estudo foi relacionar incidência de dengue com alterações climáticas no município de Campo Grande, MS, Brasil, no período 2001-2012. Os resultados indicam que relação entre os casos confirmados de dengue e a temperatura do ar (média mensal (°C), média mínima mensal (°C), precipitação (quantidade total - valor mensal (mm)) e umidade relativa do ar (média mensal (%)); não evidenciando relação estatística significante com a temperatura média máxima mensal (35,5°C). De julho a outubro, a taxa de incidência de dengue por 100 mil habitantes foi baixa, elevando-se nos meses de novembro a março, quando ocorrem valores medianos mensais maiores de temperatura do ar, temperatura mínima, umidade relativa do ar e precipitação mensal.

Palavras-chave


clima; mudança climática; atenção à saúde; febre da dengue.

Texto completo:

PDF

Referências


ANTONIO, G.; PEDER, L. D. de; SILVA, C. M. da. Influência das alterações climáticas nos casos de dengue nos anos de 2007 A 2011 no município de Cascavel – PR. SaBios – Revista de Saúde e Biologia, v. 10, n. 1, p. 06-14, jan./abr. 2015.

CÂMARA, D. C. P.; MATOS, R. R. C. Estudo retrospectivo (histórico) da dengue no Brasil: características regionais e dinâmicas. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, Uberaba, MG, v. 40, n. 2, p. 192-196, mar./abr. 2007.

CASALI, C. G. et al. A epidemia de dengue/dengue hemorrágico no município do Rio de Janeiro, 2001/2002. Revista Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, Uberaba, MG, v. 37, n. 4, p. 296-9, jul./ago. 2004.

CONFALONIERI, U. E. C. Variabilidade climática, vulnerabilidade social e saúde no Brasil. Terra Livre, São Paulo, ano 19, v. I, n. 20, p. 193-204, jan./jun. 2003.

CONRADO, D. et al. Vulnerabilidades e as mudanças climáticas. Rio de Janeiro: IIEB, 2000. Disponível em: <www.bvsde.paho.org/bvsacd/cd68/DConrado.pdf>. Acesso em: 23 ago. 2010.

COSTELLO, A. et al. Managing the health effects of climate change. The Lancet, v. 373, n. 9676, p. 1693-1733, maio 2009.

DONALÍSIO, M. R.; GLASSER, C. M. Vigilância entomológica e controle de vetores do dengue. Revista Brasileira de Epidemiologia, São Paulo, v. 5, n. 3, p. 259-272, 2002.

FERNANDES, R. S. et al. Clima e casos de dengue em Tangará da Serra/MT. Hygeia, v. 8, n. 15, p. 78-88, dez. 2012.

FERNANDES, C. et al. Biologia e exigências térmicas de Aedes aegypti (L.) (Diptera: Culicidae) provenientes de quatro regiões bioclimáticas da Paraíba. Neotroprical Entomology, v. 35, n. 6, p. 853-860, nov./dez. 2006.

FIGUEIREDO, R. M. P. et al. Doenças exantemáticas e primeira epidemia de dengue ocorrida em Manaus, Amazonas, no período de 1998-1999. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, Uberaba, MG, v. 37, n. 6, p. 476-479, nov./dez. 2004.

FURTADO, R. da S.; SOUZA V. A. de; AGUIAR, R. G. A influência de elementos micrometeorológicos na incidência dos casos de dengue na Amazônia ocidental. In: SEABRA, Giovanni; MENDONÇA, Ivo (Org.). Educação ambiental: responsabilidade para a conservação da sociobiodiversidade. João Pessoa, PB: Editora da UFPB, 2011.

GRUPO INTERGUBERNAMENTAL DE EXPERTOS SOBRE EL CAMBIO CLIMÁTICO (IPCC). Cambio climático 2007: informe de sínteses. Genebra, Suíça: IPCC, 2008. Disponível em: <https://www.ipcc.ch/pdf/assessment-report/ar4/syr/ar4_syr_sp.pdf>.

HALES, S. et al. Potential effect of population and climate changes on global distribution of dengue fever: an empirical model. The Lancet, v. 360, n. 9336, p. 830-834, set. 2002. Disponível em: <http://image.thelancet.com/extras/01art11175web.pdf>. Acesso em: 5 jun. 2012.

INSTITUTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO (ICEA). Banco de Dados Climatológicos do Comando da Aeronáutica. [s.d.]. Disponível em: <http://clima.icea.gov.br/clima/>. Acesso em: 6 fev. 2013.

LIMA, S. F. S.; MORAES, E. C.; PEREIRA, G. Análise das relações entre as variáveis ambientais e a incidência de dengue no município de Campo Grande-MS. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO – SBSR, 15. Curitiba, PR, 30 de abril a 5 de maio de 2011. Anais... Curitiba, 2011. Disponível em: <http://www.dsr.inpe.br/sbsr2011/files/p1250.pdf>.

LIMA, R. C. de; MOREIRA, E. B M.; NÓBREGA, R. S. A influência climática sobre a epidemia dengue na cidade do Recife por Sistema de Informações Geográficas. Revista Brasileira de Geografia Física, v. 9, n. 2, p. 384-398, 2016. Disponível em: <http://www.revista.ufpe.br/rbgfe/index.php/revista/article/view/1398/930>.

BRASIL. Ministério da Saúde. DATASUS. TabNet 2.7: Aplicativo para realização de tabulações na Intranet/Internet. 2013. Disponível em: <ftp://ftp.datasus.gov.br/tabnet/doc/ManualTabnet.pdf>. Acesso em: 1º dez. 2013.

______. DATASUS. Taxa de incidência de dengue - D.2.3 – 2011. Disponível em: <http://www.ripsa.org.br/fichasIDB/record.php?node=D.2.3&lang=pt&version=ed6>. Acesso em: 6 dez. 2013.

ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE (OPAS). Mudanças climáticas e ambientais e seus efeitos na saúde: cenários e incertezas para o Brasil. Brasília: OPAS, 2008. Disponível em: <http://www.fiocruz.br/omsambiental/media/Mudanca_climatica_saude1.pdf>.

PIGNATTI, M. G. Saúde e ambiente: as doenças emergentes no Brasil. Ambiente e Sociedade, v. 7, n. 1, p. 133-147, já./jun. 2004.

QUINTANILHA, A. C. F. Caracterização clínica e epidemiológica de casos de dengue internados em hospital público de Campo Grande – MS. 2010. Dissertação (Mestrado em Saúde e Desenvolvimento da Região Centro-Oeste) - Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, Campo Grande, MS, 2010.

SANTOS, C. L. L.; LEITE, R. F. C. Ceará: situação da dengue às margens das mudanças climáticas. In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CLIMATOLOGIA, 4. Anais... João Pessoa, PB, 2011. Disponível em: <http://www.sbmet.org.br/sic2011/arq/74193820566027419382056.pdf>.

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE (SESAU). Informe técnico n. 45 e 46. Campo Grande, MS, 2011.

SILVA, A. M.; SILVA, R. M. da; ALMEIDA, C. A. P. de; CHAVES, J. J. da S. Modelagem geoestatística dos casos de dengue e da variação termopluviométrica em João Pessoa, Brasil. Sociedade & Natureza, Uberlândia, MG, v. 27, n. 1, p. 157-169, jan./abr. 2015.

TORRES, E. M. Dengue. Tradução de Rogério Dias. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2005.

VIANA, D. V.; IGNOTTI, E. A ocorrência da dengue e variações meteorológicas no Brasil: revisão sistemática. Revista Brasileira de Epidemiologia, São Paulo, v. 16, n. 2, p. 240-256, jun. 2013.

WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO). Report on global surveillance of epidemic-prone infectious diseases. WHO/CDS/CSR/ISR/2000.1. World Health Organization, Geneva, 2000. Disponível em: <http://www.who.int/csr/resources/publications/surveillance/en/WHO_Report_Infectious_Diseases.pdf>. Acesso em: 19 dez. 2016.

YOKOO, S. C. Clima e saúde: estudo sobre a influência do tempo atmosférico no número de notificações de dengue no município de Campo Mourão - PR. In: EPCT – ENCONTRO DE PRODUÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA, 5., 2010. Anais... Disponível em: <http://www.fecilcam.br/nupem/anais_v_epct/PDF/ciencias_exatas/19_YOKOO.pdf>.




DOI: http://dx.doi.org/10.20435/multi.v22i51.1123

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

ISSN online: 2447-9276
ISSN impresso: 1414-512X (até o número especial, set. 2015)